EMPRESA DE SÃO PAULO APRESENTA O MELHOR PREÇO PARA PARTE TERRESTRE DA CONSTRUÇÃO DO GASO DUTO ROTA 3

A Tenaris vai fornecer os 40 km de dutos para o Gasoduto Rota 3 e a empresa Encalso Construções apresentou o menor preço para construir o trecho terrestre que vai ligar a produção do pré-sal da Bacia de Santos até a UPGN do Comperj. O valor apresentado foi de R$ 215,160 milhões. A empresa tem uma experiência de 50 anos e atua na engenharia civil pesada, desenvolvendo diversas atividades de terraplenagem, construção e pavimentação de estradas, avenidas, pontes e viadutos, barragens, aeroportos, construção de estações de tratamento de água e esgoto, obras de saneamento básico, oleodutos, gasoduto e infraestrutura urbana. Na área de duto já construiu um gasoduto para a Comgás, em Jaguariuna, São Paulo; uma rede de gasodutos e a travessia do Rio Atibaia, em São Paulo, o canal de água oleosas da REVAP, em São José dos Campos e um Oleoduto para a Petrobrás, em Aracruz, no Espírito Santo.

wdwdA vitória da empresa, no entanto, ainda não está decidida. Haverá negociações com a Petrobrás para diversas certificações da proposta, estudo do fluxo de caixa da empresa e até mesmo redução deste valor apresentado. As outras empresas participantes apresentaram os seguintes preços:

Elecnor do Brasil- R$ 228,808 milhões.

Denys NV – R$ 256,684 milhões

Spiecapag – R$ 259,355 milhões

Mota – R$ 266,848 milhões

Acciona Infraestrutura – R$ 273,739 milhões

Conenge – R$ 276,712 milhões

Barbosa Mello- R$ 278,952 milhões

Bueno Engenharia e Construção- R$ 313,714 milhões

SACS Construções- R$ 430,477 milhões

O Rota 3 vai ampliar em 18 milhões de m³/dia a capacidade de escoamento de gás do pré-sal. A parte marítima do gasoduto está sendo lançada pela holandesa Allseas( foto no alto) O gás que será escoado irá direto para a UPGN do Comperj que só deve começar a sua reconstrução, vencida pela gigante chinesa Kerui, no ano que vem. A UPGN vai processar 21 milhões de m³/dia. A proposta de fornecimento de equipamentos da Kerui ficou cerca de R$ 440 milhões mais barato do que a proposta das empresas que ficaram em segundo e terceiro lugares: Fluor e Cobra. Mas ficou R$ 50 milhões mais cara no setor de serviços. Ainda assim foi uma diferença considerável no cômputo final. A Petrobrás ainda está negociando outros detalhes com a empresa chinesa para poder declara-la vencedora.

https://www.petronoticias.com.br/archives/104154

Print Friendly, PDF & Email
%d blogueiros gostam disto: