Boletim de Resultados PPSP – set/2016

Boletim de Resultados PPSP


PPSP tem rentabilidade acima da meta em setembro e no acumulado até o 3º trimestre
O Plano Petros do Sistema Petrobras (PPSP), também conhecido como plano BD, registrou rentabilidade de 0,58% em setembro, acima da meta atuarial de 0,54% para o mês, e de 14,85% no acumulado até o terceiro trimestre, bem superior à meta atuarial de 9,98% para o período. Os números evidenciam o bom desempenho dos investimentos.

O resultado foi impulsionado pela boa performance da renda fixa, que concentra quase 45% dos investimentos do plano. Os recursos alocados neste segmento tiveram rendimento de 1,49% no mês e de 24,13% no acumulado até o terceiro trimestre, acima do principal referencial do mercado, o CDI, que teve alta de 1,11% e de 10,42% nos mesmos períodos. O destaque foram os Títulos Públicos Federais, que valorizaram 1,68% em setembro e acumulam crescimento de 27,46% no ano.

Os investimentos em renda variável vêm apresentando recuperação ao longo do ano. Em setembro, esses ativos subiram 0,78%, em linha com os principais referenciais do mercado, o IBX-100 (0,60%) e Ibovespa (0,80%), e acumulam rentabilidade de 14,32% de janeiro a setembro.

Por outro lado, o segmento de investimentos estruturados, que conta com cerca de 6% dos recursos do PPSP, teve desempenho negativo de 6,68% no mês, e de 14,23% no acumulado até o terceiro trimestre. O resultado decorre da frustração de expectativa em relação ao crescimento do mercado gerada pela recessão econômica, o que atingiu as empresas e projetos que compõem a carteira de investimentos estruturados.

 

* A rentabilidade total do plano é o retorno dos investimentos, descontados outros fatores que interferem no resultado, como por exemplo, despesas de custeio administrativo.

 

Composição da carteira do PPSP

 

Movimentação do PPSP em setembro

 

Patrimônio (ativos) são todos os investimentos que o plano possui, mais outros recursos que ele tem a receber.

Compromissos futuros do plano (passivo): são os valores necessários para pagar os benefícios de todos os participantes ao longo da vida do plano, seguindo o que está previsto em seu regulamento.

Equilíbrio técnico é basicamente a diferença entre os compromissos futuros e o patrimônio do plano. Sofre variações para mais ou para menos, de acordo com os compromissos previstos do plano e a rentabilidade dos investimentos. O déficit ocorre quando os compromissos futuros ficam maiores que o patrimônio.

Saiba mais: apesar de os investimentos do PPSP terem rentabilizado acima da meta atuarial até o mês de setembro deste ano, o déficit passou de R$ 22,6 bilhões, em dezembro de 2015, para R$ 24,5 bilhões, em setembro de 2016. Isso aconteceu porque os compromissos futuros são atualizados mensalmente pela mesma meta atuarial (IPCA + juros).
Como o valor do passivo do plano (soma de todos os compromissos futuros) hoje é muito superior ao valor do ativo (investimentos mais valores a receber) – o que resulta em déficit -, mesmo com o percentual de rendimento do ativo tendo sido maior do que a correção do passivo, em valores absolutos o aumento do passivo acabou sendo maior que o do ativo.

Print Friendly, PDF & Email
%d blogueiros gostam disto: