DÉFICIT DOS FUNDOS DE PENSÃO DO REINO UNIDO SALTA £80 BILHÕES DURANTE A NOITE

A diferença no déficit dos fundos de pensões do Reino Unido já atingiu £900bi, um aumento de £80 bilhões a partir de ontem, como resultado da decisão da Inglaterra de deixar a UE, afirma Hymans Robertson.

No entanto, especialistas pediram para os poupadores “não entrem em pânico” e advertiram contra a volatilidade do mercado de curto prazo.

Hymans Robertson, chefe da consultoria empresarial Jon Hatchett, disse: “Aqueles que possuem planos de Benefícios Definidos devem lembrar que as pensões são um jogo de longo prazo”. Todavia, acrescentou que os fundos de pensão são vulneráveis a incertezas. “Na sequência da votação para sair da UE, é provável que as expectativas de crescimento do PIB do Reino Unido caiam e irão influenciar os mercados de ações e as taxas de juros – colocando mais pressão sobre os déficits”, disse ele.

Comentando sobre a posição do patrocinador, Hatchett disse que as empresas necessitarão de planos de contingência, acrescentando: “Os investidores vão querer entender o que esses planos realmente são e devem reavaliar suas estratégias de financiamento.”

Hugh Nolan, diretor da Spence & Partners, concordou que o financiamento é uma proposta de longo prazo e os sistemas devem evitar “reações automáticas”. Nolan também acrediacredita que investidores poderiam tirar proveito da volatilidade do mercado para atingir os seus objetivos de investimento. “O estabelecimento de metas claras com antecedência e o monitoramento dos movimentos do mercado permitem trocar estratégias de investimento sempre que as condições de mercado forem favoráveis, sem a necessidade de longas discussões que levam a chances perdidas.”

David Feiras, sócio da KPMG, previu que o Brexit tornaria difícil o planejamento de curto prazo para aqueles que esperam se aposentar em breve. Ele sugeriu adiar a reforma até que os mercados se estabilizem, mas acrescentou: “Pode haver oportunidades de curto prazo em mercados voláteis”.

Tom McPhail, chefe de pesquisa de pensões na Hargreaves Lansdown, concorda em evitar quaisquer decisões precipitadas. “Para os investidores de longo prazo, que podem estar vendo o valor de suas poupanças caindo hoje, a mensagem é não fazer nada a menos que você tenha que”, disse ele. “Estamos propensos a experimentar um período de volatilidade nos mercados e de incerteza na economia em geral e, nessas condições, agir com pressa é desfavorável”.

Fonte: The Actuary (tradução livre)

Print Friendly, PDF & Email
%d blogueiros gostam disto: